sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Linha dos Malandros na Umbanda

O que vem a ser a linha de Malandros na Umbanda?

A linha de malandros na Umbanda é uma linha de espíritos trabalhadores que compõem uma egrégora singular que prega a cima de tudo a alegria de viver e nos ensina a encarar tudo com muita coragem e alegria, não cabendo a nós encarar nada do lado negativo.




E essa postura, que hoje em dia é difícil de se adotar, visto que, para sermos responsáveis, trabalhadores, e maduros, temos que enterrar a criança que habita em nós e encarar a vida com uma seriedade cruel, fria, sem nos dar o direito de sorrir, viver e aproveitar os melhores momentos de nossas vidas com a plenitude que Deus nos concede.
Deus é alegria, é plenitude, é a criança sagrada que teima em sobreviver apesar dos massacres que promovemos a ela constantemente, dia a dia, esquecendo-nos totalmente de aproveitar as pequenas coisas que Deus nos dá todos os dias, que dirá as grandes não é mesmo?
A linha dos malandros jamais pode ser confundida com espíritos marginais, foras da Lei, mesmo porque, como poderíamos conceber uma religião com espíritos que trabalham a margem da Lei Maior e da Justiça Divina?
Umbanda é religião! Ponto final.
Religião é o ato de nos religarmos a Deus através de uma via, e a Umbanda é uma dessas vias que nos levam a Deus. Portanto, os malandros são espíritos que nos remetem a alegria de viver e nunca ao desvio de comportamento.
Nesta linha existem vários espíritos que atendem pelos nomes de Zé Pretinho, Camisa Preta, Pixinguinha, Zé do quilombo, Passo Fundo, Camisa listrada, Zé da Navalha, Zé Ceguinho Véio, Certãozinho do Norte, João do Morro, Zé da Ladeira ...e muitos outros que trabalham com fervor pelo bem dos trabalhadores de Umbanda.
Muita Paz e Alegria! Salve os Malandros! Axé!


Alguns pontos dessa linha maravilhosa:


Laiá Laiá Laiá (x4)
O Zé, minha vida tem sido ruim...
Se não fosse você,
Oque seria de mim?

Vem morar comigo,
pois só assim você fica sabendo quem eu sou...
Te darei carinho,
Você será meu grande amor...
Na Lapa, foi num cabaré na Lapa,
Na lapa aonde tudo começou...
Na Lapa, foi num cabaré na Lapa,
Que eu conheci meu grande amor

Eu hoje vou subir a colina,
Para ver oque tem lá em cima...(x2)
La em cima
Tem moça bonita para namorar,
La em cima
Tem bagulho bom pra gente fumar...
É lá que tem cangirê,
É lá que o couro come e ninguém .

Malandragem, malandragem, malandragem...
Conheci esse malandro jogando cartadiagem,
Conheci esse malandro jogando cartadiagem,
Eu vou jogar com ele para ver quem joga mais(x2).


Foi num sábado,
Foi ao meio dia...(x2)
Jogava baralho,
Bebia cachaça,
Fumava bagulho...
Por causa de uma mulher,
Ele tornou-se um vagabundo...


Nenhum comentário:

Postar um comentário